Pautas com gancho eleitoral

Pessoal, um exercício para a próxima aula é que vocês apresentem uma pauta que tenha como gancho as eleições de outubro, para presidente, governador, senador, deputado federal e estadual.

Nosso amigo Vander Ramos, morador do Itaim Paulista, apresentou não apenas uma, mas várias sugestões de pauta.

Vamos a elas:

Programa Córrego Limpo no Itaim Paulista, por que parou? (Um dos carros-chefes para a propaganda de governador)

A construção do dique de 1.700 metros no bairro do Jardim Romano não estaria desviando o curso das águas do Rio Tietê?

A situação do Jardim Romano será muito comentada nas eleições, pois o governo estadual pretende construir um parque e, para isso, precisa das margens livres. A construção do dique visa proteger o CEU Três Pontes e não os moradores.

Criação de novos Centros de Referência do Idoso (CRI) na região leste.

Por que as reformas das estações da CPTM pararam no Itaim Paulista? As estações de Itaquaquecetuba, Suzano e POA ainda não foram beneficiadas e ainda contam com uma infra-estrutura da década de 70.

Porque o Programa Família na Escola foi reduzido, se ele foi aprovado pela população e é muito mencionado em época de eleições?

Por que as Escolas Modelos do Estado ainda não chegaram ao Itaim Paulista?

A Etec do Itaim Paulista: como funcionará este novo modelo, agregado ao programa de Trabalho e Renda da subprefeitura?

O Vander, por sinal, já havia assinado um texto no portal do Itaim Paulista, sobre o moroso processo de construção da Etec.
No email em que sugeriu as pautas, Vander perguntou: “Qual delas escolher?”
Pois é, Vander, todas as opções parecem boas. Vamos ficar em contato. Se puder, me passe mais detalhes sobre as diferentes sugestões. De toda forma, vamos conversar sobre as pautas na próxima aula.
Para aqueles que ainda não mandaram sua sugestão ou sugestões, utilizem o espaço abaixo, por favor.
Esse post foi publicado em Exercícios. Bookmark o link permanente.

20 respostas para Pautas com gancho eleitoral

  1. Titulo da matéria sugerido: O PORQUÊ DA MOROSIDADE DA FÁBRICA DE CULTURA NO ITAIM PAULISTA ?

    O Programa Cultura e Cidadania para a Inclusão Social – PCCIS: Fábricas de Cultura está sendo implantado pela Secretaria de Estado da Cultura por meio de contrato de empréstimo firmado entre o Governo do Estado e o BID – Banco Interamericano de Desenvolvimento.
    O Programa propõe ações direcionadas a crianças e jovens, de 7 a 19 anos, moradores em áreas socialmente críticas da Capital. A partir do Índice de Vulnerabilidade Juvenil – IVJ, desenvolvido pela Fundação Seade e composto por variáveis que influem nas condições de vida dos jovens, foram selecionados os seguintes distritos: Cidade Tiradentes, Itaim Paulista, Sapopemba e Vila Curuçá (zona leste); Brasilândia, Cachoeirinha e Jaçanã (zona norte); Capão Redondo e Jardim São Luiz (zona sul).

    Gancho:
    Este projeto no Itaim Paulista se arrasta por tanto tempo, porém só neste ano, tivemos aceleração nas obras porque ?

    Contatos:
    Diretor do Fábrica de Cultura : Luiz Nogueira
    Rua Mauá, 51 – Luz
    Fone: Fone: (11) 3351-8053

    Entrevistas sugeridas
    Moradores Locais
    Representante da Secretaria Estadual de Cultura
    Diretor do Projeto Luiz Nogueira.

    • brunogarcez disse:

      Legal, Cacau, boa pauta. Gostei, vai direto ao assunto. Sua suspeita é de que a coisa só agora começa a sair do papel porque é ano eleitoral? Vale acompanhar também para ver se por conta da morosidade que vinha sendo registrada anteriormente, as obras não estão sendo tocadas aos trancos e barrancos. Sobre isso, falamos mais amanhã.

      Abração!

      Bruno

  2. Luciana Sales disse:

    Pauta: Recapeamento das ruas da região da Freguesia Do Ó

    Mais 81 trechos de ruas e avenidas da capital, num total de 61,1 quilômetros lineares, terão asfalto recuperado pelo programa paulistano de recapeamento, que entra em sua terceira fase. As obras para a renovação de asfalto, com previsão de término para meados de setembro, incluem as subprefeituras de Aricanduva, Cidade Ademar, Butantã, Capela do Socorro, Casa Verde, Freguesia do Ó, Ipiranga, Jabaquara, Jaçanã, Lapa, M’Boi Mirim, Mooca, Pinheiros, Pirituba, Perus, Santo Amaro, Sé, Santana e Vila Maria. Apenas nesta fase serão investidos R$ 19,345 milhões.
    “Este é um dos principais programas de manutenção da Cidade de São Paulo. Desde o início da gestão ficou clara a priorização da melhoria da qualidade de vida das pessoas, e esse programa está diretamente ligado a esta prioridade. Estamos no maior programa de recapeamento da história de São Paulo. Nas últimas quatro gestões nós tivemos um volume correspondente à metade do que foi feito até agora nesta administração”, explicou o prefeito, referindo-se aos 589 quilômetros de vias recapeadas pelo programa, diante dos 316 quilômetros realizados nos 16 anos anteriores.
    Desde 2005, 553 ruas e avenidas da cidade foram recapeadas, totalizando 589 quilômetros lineares. Executado pela Superintendência das Usinas de Asfalto da Prefeitura (SPUA), sob a gerência da Secretaria de Coordenação das Subprefeituras, este é o maior programa de renovação asfáltica já realizado na cidade. No fim desta terceira etapa, serão 650 quilômetros.

    Gancho:

    O recapeamento das ruas da Freguesia Do Ó foi 1º. semestre de 2010, antes do período eleitoral. Será que os próximos candidatos cuidarão das ruas durante seus mandatos?

    Contato:

    Subprefeito: Marcelo Bruni
    Av. João Marcelino Branco, 95
    Tel: 3981-5000

    Entrevistas:

    -Subprefeito da Freguesia Do Ó;
    – Moradores do bairro;
    – Trabalhadores que fazem recapeamento das ruas da região.

    • brunogarcez disse:

      Gostei também Lu,

      Tal qual a do Cacau, é uma pauta bem certeira e valeu pela riqueza de detalhes e pelo investimento na pré-apuração. Eu confesso que pouco sabia sobre o tema e passei a me interessar, o que a mostra a força da pauta.

      Vale falar com alguém que pode dar alguns pitacos sobre o material que está sendo usado no recapeamento da Freguesia do Ó. Algum especialista no assunto, um engenheiro, alguém do ramo. É uma forma de aferir se a coisa está sendo feita de forma afobada, às pressas, para mostrar serviço.

      Mas as demais sugestões de fontes estão perfeitas. É por aí mesmo.

      Abração e até amanhã.

      Bruno

  3. Rafael Gonçalves disse:

    Tema: O superlotamento das escolas técnicas de São Paulo.

    Enfoque: As escolas técnicas do Estado de São Paulo (ETCs), administradas pelo Centro Paula Souza, tiveram as suas vagas praticamente dobradas nos últimos meses. Essa foi uma iniciativa do então Governador do Estado, José Serra, que agora concorre às eleições para Presidente. Em sua campanha eleitoral, José Serra irá utilizar os dados do aumento de vagas nas Escolas Técnicas a seu favor. Porém, o que poucos sabem é que o número de vagas foram duplicados mas a infraestrutura continuou praticamente a mesma. Alunos estão tendo aulas nos auditórios e em salas que eram laboratórios de vídeos. O correto seria não apenas aumentar o número de alunos, mas também ampliar as instalações, construindo novas salas de aula e laboratórios. Será que essa superlotação não atrapalha a qualidade do ensino?

    Fontes: Diretora da ETEC Guaracy Silveira, Sonia Espíndola.

    Alunos da ETEC Guaracy Silveira.

    Professores da ETEC Guaracy Silveira.

    Assossoria de imprensa do Centro Paula Souza.

    • VANDER RAMOS disse:

      OLá Rafael

      Interessante sua pauta (superlotação nas ETECs). O curioso é que a ETEC da cidade de Itaquaquecetuba está com ameça de ser fechada por falta de alunos. Sugeria conversar com o Cacau sobre o assunto, pois um amigo dele que estuda lá reclamou da falta de alunos para uma enorme estrutura.

    • brunogarcez disse:

      Eu gostei dessa pauta, Rafael. Achei bem pertinente com o momento que estamos vivendo, com a disputa eleitoral. Muitos apontam o quadro da educação no Estado como um dos pontos fracos da gestão do governador Serra. E acho que a sugestão do Vander é bacana também, porque fica sendo um contraponto ao que você está falando. Se estivéssemos fazendo reportagens para um veículo de mídia impressa, essa que você propôs poderia ser a matéria principal e a outra, a da ETEC que pode ser fechada renderia uma boa sub ou um box. A escola que você cita, a Guaracy Silveira é exemplar da situação que você descreve? Ela está superlotada e com equipamentos inapropriados? Me conte um pouco mais sobre ela, porque já que você a escolheu como símbolo é legal a gente tentar providenciar alguns detalhes que serão importantes na hora de realizar a reportagem.

      Abraços,

      Bruno

  4. Uilian disse:

    Titulo: Porque Ermelino Matarazzo não tem uma casa de cultura?

    Ermelino Matarazzo é uma região rica em interlocutores culturais, porém o bairro não tem um espaço para que esses artistas possam expor ou apresentar seus trabalhos, prova disso foi o maior encontro cultural ser realizado em uma escola pública por uma pessoa fisica, esse encontro reuniu mais de 130 artistas culturais de diversas areas, um fato curioso é que já existe um projeto de construção e o terreno, poderiam ter como argumento a falta de dinheiro que invibilizaria a construção, porém uma emenda de um vereador que liberava duzentos mil para inicio das obras não foi aproveitado. enfim porque não há interesse na construção da casa de cultura?

    Contato Subprefeito: Eduardo camargo Afonso (Tel: 2048-6585)

    Entrevistas sugeridas:
    Ricardo Cardoso: Historiador e artista plástico
    Padre Ticão: Padre da paróquia Nossa Senhora da Aparecida
    Claudia: Grupo de Teatro
    Jonathan: Grupo de Hip Hop
    Vinicius: Grupo Musical

    • brunogarcez disse:

      Caro Uilian Chapeu, a pauta é muito boa. É um tema importante, porque a falta de um espaço cultural não apenas em Ermelino Matarazzo, mas em diferentes bairros periféricos, tem implicações muito mais graves do que as autoridades oficiais conseguem muitas vezes antever. Todos nós sabemos quais podem ser as consequências para os jovens de regiões mais pobres que ficam privados de programações culturais, daí este não ser um tema secundário, não.

      Gostei das suas sugestões de entrevistados, o subprefeito, o historiador e artista plástico, o padre da paróquia local também parece ser uma boa pedida e os artistas de teatro, do grupo de hip hop e da banda musical seriam peças fundamentais.

      É uma pauta que se presta a um vídeo bem legal, caso você tenha acesso a uma câmera ou queira pegar uma Flip comigo ou queira que eu te repasse uma. Caso haja algum evento com os agentes culturais locais, isso renderia belas imagens. Se quiser, converse com a galera multimídia do Itaim Paulista, os colegas Cacau e Vander, que talvez eles possam te dar uma força, se não estiverem muito enrolados com seus próprios vídeos.

  5. brunogarcez disse:

    Legal, Chapéu. É um bom ponto de partida. Acho só que tanto a reportagem que sair desta pauta como a própria pauta devem conter aquela informação que você me passou quando conversamos neste domingo. O fato de que há instituições culturais nos bairros vizinhos, mas nada em Ermelino Matarazzo. E levantar questões sobre o porquê de o investimento em um centro cultural na região já ter sido feito e nada ter acontecido. As suas sugestões de possíveis entrevistados são boas.

    Abraço,

    Bruno

  6. Cláudia Pereira disse:

    Olá Bruno tudo bem

    Bom vou ficar com a pauta sobre a escola do Taboão. Os problemas da escola e o apoio da comunidade.

    A Escola Estadual do Jardim das Palmas zona sul sofre com falta de Professores

    As escolas periféricas de São Paulo buscam solucionar problemas com falta de professores na área de exatas. Na escola estadual Comendador Miguel Maluy na zona sul os administradores da escola driblam com a falta de professores das disciplinas de matemática e química. Com a falta de assessoria, trabalham além da carga horária que é de 40 horas. A escola tem dificuldade em desenvolver programa educacional para a comunidade, por falta de assistência dos órgãos do governo estadual e contam com apoio de colegas para cumprir com carga horária escolar dos alunos. Outra dificuldade que a escola enfrenta é com relação ao programa de inclusão digital na escola, faltam computadores, dos quatro que a escola possui só dois é conectado em rede, faltam materiais de apoio e segurança. Professores e alunos convivem quase que diariamente com a violência na escola. Ainda na mesma região sul a escola Francisco de Paula na região do Campo Limpo passa pelas mesmas dificuldades e por conseqüência disso os próprios docentes decidiram não esperar e desenvolveram métodos para escola e comunidade.

    Para a matéria:
    – Apresentar dados sobre escolas estaduais de são Paulo em novo programa de governo
    – Dados sobre os números de professores estaduais para disciplinas de exatas;
    – Trazer informações da secretaria de educação e especialistas da área;
    – Entrevistar professores que estão fora das salas de aula;
    – Entrevistar pais para saber quais as perspectivas que tem sobre a escola;
    – Informação sobre o bônus salarial de professores e quais mudanças para o professor ingressar na rede estadual de ensino

    FONTES:
    Professores
    Professor – Gildo Ribeiro de Castro – diretor da escola
    Fone 5844 9526
    Email – homargil@bol.com.br
    Professor – Higino José de Andrade
    Fone 4666 8274
    Professor – Paulo Vitor 5825 2778
    Apeosp
    Helenice e Adalberto
    Fone – 5681-4826

  7. Gustavo Lima disse:

    Manutenção… Mas porque só agora?

    O Parque Residencial Cocaia, extremo sul da capital paulista, está localizado na região do Grajaú, com cerca de 65 mil habitantes, o distrito mais populoso da cidade tem apenas uma escolas pública para atender aos alunos do ensino médio.
    A escola estadual Washington Alves Natel foi inaugurada há mais de 25 anos e acompanhou todo crescimento da comunidade, mas também sofreu danos por receber mais alunos do que o suportado.
    Embora seja a instituição educativa mais importante do bairro somente agora, duas décadas depois de sua inauguração, o colégio passará por um projeto de expansão, apoiado pelo governo federal.

    Abordagem: O repórter deverá apurar porque o projeto só teve inicio neste ano (eleitoral) e se há apoio/ envolvimento de algum político.

    Fontes: Diretoria da escola
    Delegacia de ensino Sul 3 (responsável pelas escolas da região)
    Líder comunitário

    • brunogarcez disse:

      Oi Gustavo, o que mais gostei nessa pauta é que ela consegue cumprir aquilo que eu venho repetindo bastante ao longo do curso, que é o de partir do local para atingir o universal. Eu acho que ela se presta a fazer isso e consegue direitinho.

      Acho que é crucial dizer quantos alunos tem a escola, tentar obter uma média de quantos jovens em idade escolar que moram na região ou estão sem estudar ou tendo de ir para outros bairros para poder frequentar um colégio.

      Gostei também que você concilia múltiplas fontes, a diretoria da escola, a delegaida de ensino responsável pela região e um líder comunitário. Era importante também ouvir tanto alunos que estão estudando na única escola pública local, como os que acabaram ficando de fora dela.

  8. Valesca Montenegro disse:

    Oii Bruno!!

    Segue uma sugestão de pauta, eu acho que ela está um pouco ampla…Será que é uma boa ideia?

    Título: Jardim Pedreira – Um bairro feito de promessas

    O bairro da Pedreira localizado na zona sul de São Paulo tem uma população estimada em um milhão de habitantes, a maioria vive em condições precárias. A comunidade é cercada por favelas, são quase 200 na região de Pedreira e Cidade Ademar o que corresponde a 20% da população da região. A questão habitacional, é preocupante pois está situada numa área de mananciais. Além de estar próximo da represa Billings também enfrenta problemas relacionados a preservação dos mananciais, educação, violência e transito caótico.
    Segundo dados da subprefeitura da cidade Ademar alguns desses problemas foram discutidos por líderes comunitários, moradores, assessores de deputados, presidentes do Movimento Habitacional e Ação Social, em uma Audiência Pública realizada dia 18 de agosto de 2009. O documento já foi encaminhado às autoridades competentes e por enquanto nada foi solucionado. Alguns dos problemas discutidos:

    Perda dos Mananciais (Dos Recursos Hídricos)
    – esclarecimentos sobre a Lei da Billings em relação à regularização das moradias e preservação do meio ambiente.

    Congestionamento
    – sistema rodoviário da região não resolvido: Avenida Cupecê, o corredor de ônibus está sendo construído há mais de 20 anos e até agora não foi concluído; Avenida Yervant Kissajikian e a Estrada do Alvarenga não comportam mais o número de veículos que por elas transitam;

    Serviços Públicos / Recuperação da área ambiental
    – inclusão da saúde, educação;
    – criação de espaço esportivo-cultural;
    -conciliar as moradias populares (especialmente favelas) com a questão ambiental;

    Abordagem: O repórter deverá apurar as causas dos problemas do local, porque tantas promessas foram feitas e nenhuma cumprida.

    Fontes: Subprefeitura da Cidade Ademar, Fórum Social da Cidade Ademar e Pedreira, líderes comunitários, moradores do bairro.

    • brunogarcez disse:

      Valesca, você levanta aí diversos temas interessantes. Todos eles dignos de atenção e, quem sabe, cada um deles digno de uma reportagem à parte. Mas o problema é justamente esse. Eu vejo aí material não para uma, mas para várias reportagens. Concordo com o receio que você levantou logo no iníco do seu texto. Está, de fato, muito amplo. Essa história da perda dos manciais e da proximidade da Billings me parece um bom caminho, junta dois temas ambientais críticos e que afatem até mesmo a segurança dos moradores. O tema do corredor de ônibus que está estancado há 20 anos também é bem promissor. Acho que são duas boas possibilidades de reportagem. O que te parece?

  9. Marta Barbosa dos Santos disse:

    Pauta: Ensino em escola estadual.

    O foco da matéria deve ser a constante falta de professores e o número de aulas vagas. No colégio Maria José, na região da Bela Vista, os alunos devem ser entrevistados, assim como professores e o diretor, sempre direcionando as perguntas para o quanto essas aulas perdidas são prejudiciais aos alunos e se o procedimento tomado, de liberá-los mais cedo, é a forma correta de agir, nesse ponto a opinião de alguns pais deve ser levada em conta. Além disso, nos últimos anos não houve nenhum tipo de reposição dessas aulas, e mesmo assim, turmas são formadas todos os anos, com esse déficit de ensino.
    O colégio recebe muitos eleitores da região, incluindo pais e estudantes de lá. Antes de cada eleição é realizada uma grande faxina em todas as salas e banheiros, porém durante o resto do ano letivo, a situação é muito diferente, principalmente os banheiros, que durante as aulas permanecem trancados, sem a limpeza e a conservação necessária.

    • brunogarcez disse:

      Marta, acho que vale à pena você conversar com a Cláudia Pereira, que está realizando uma reportagem muito semelhante. Troquem ideias, veja por onde cada uma de vocês está indo. Seria legal se vocês juntassem à apuração algum levantamento, algum número levantado por um instituto que se dedique a levantar dados sobre educação que pode contestar ou não a versão oficial de que não estão faltando professores nas escolas. O que digo é que para não ficar uma coisa a sua palavra x a palavra das autoridades oficiais do setor educacional, é legal ouvir alguém que supostamente não tem interesse direto na história, endente?

  10. Elias Ribeiro disse:

    Pauta: Corrupção política, só política?

    • brunogarcez disse:

      Elias, as ideias que você levanta são interessantes, mas não constituem exatamente uma pauta. São pontos de discussão, todos eles válidos, que podem levar a questionamentos interessantes, mas, para que isso se transforme em algo mais consolidado, você precisa levantar exemplos concretos, casos específicos ligados ao que deseja mostrar ou provar. Faz sentido?

  11. Pingback: Bruno Garcez: o que e pra quê Jornalismo Cidadão | Maria Frô

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s